Instrutor António Neves – 3º Dan

António Neves, nasceu em 12/12/1970, vive na Pampilhosa do Botão, é Especialista 365 na Microsoft e é Instrutor da Associação Portuguesa de Karate Shukokai.
António Neves conheceu o Karate com 20 anos, na Pampilhosa. Começou a fazer uns treinos de forma informal com um vizinho que praticava Karate Shotokan na Mealhada e a vontade em praticar a arte marcial começou a crescer.
Começou a treinar Karate Shukokai com Dionisio Vieira, um aluno graduado do Sensei Pedro Choy que, mais tarde, seria substituído pelo Sensei Faustino Filipe.
Percebeu logo desde o início que no Karate existia muito mais que apenas os socos e pontapés, que é uma ideia errónea partilhada por muitos. Na realidade é muito mais do que isso. É uma filosofia.
Para António Neves, o Karate é uma via, que mantém os seus praticantes equilibrados fisica e emocionalmente, ajudando os outros, nomeadamente as crianças, desenvolvendo a sua auto-estima, a combater o bullying na escola e a proporcionar aos seus alunos as capacidades para, um dia, poderem até superar o seu Mestre. Considera que este é um aspeto que deve orgulhar qualquer Instrutor.
Para António Neves, é importante ser instrutor de Karate, pois é um processo contínuo de aprendizagem e partilha mútuos, pois refere que “…nós somos mestres uns dos outros. Aprendemos uns com os outros em áreas diferentes. Estamos sempre aprender. Aprendemos ensinando.” Acrescenta que é a humildade que possibilita a aprendizagem contínua.
No início, quando começou a praticar Karate aos 20 anos, o seu primeiro objetivo era ser cinturão negro. Depois, o objetivo de graduar perdeu a sua importância. O seu Mestre Faustino Filipe sempre lhe mostrou que a cor do cinto não era relevante e fez referência para não ter pressa em graduar, mas sim em deter conhecimento e desenvolver a forma do que se transmite.
António Neves teve um percurso competitivo de relevo no Shukokai!
Em 2011, conquistou o título de Campeão Europeu de Kumite (Combate), no escalão de Veteranos em Birmingham, Inglaterra, no Campeonato da Europa de Shukokai da Kimura Shukokai International e, também nessa competição, o 3º Lugar em Kata (Forma), escalão Veteranos. No ano seguinte subiu ao 3º lugar do pódio em Kumite (Veteranos) no Campeonato do Mundo de Shukokai, em Atlantic City, E.U.A.
Para além destas conquistas internacionais, destacou-se nas competições nacionais de Shukokai, demonstrando grande frieza e inteligência de combate, assim como uma grande versatilidade técnica, surpreendendo os seus adversários com técnicas de geri-jodan (técnicas de pontapés ao nível da cara).
Em 2007, no Campeonato Nacional de Shukokai em Figueiró dos Vinhos, levou o seu grupo a conquistar os prémios de Campeões Nacionais Equipa, Melhor Escola e vários pódios individuais.
Durante vários anos deu treinos na Pampilhosa, no Clube Pampigym e tem enfrentado as dificuldades normais dos Instrutores hoje em dia, com a necessidade de conjugar o Karate com uma atividade profissional. A determinado momento da sua vida, por motivos profissionais, rumou a Lisboa onde abriu um Dojo, tendo mais tarde “transferido” os seus alunos para o Dojo Samurai – UMC com o Sensei Sérgio Vieira.
O seu Grupo é o Núcleo Karaté Shukokai Pampilhosa e, neste momento, tem cerca de 10 alunos, mas durante a presente época 2020/21 suspendeu o Dojo, devido a vários motivos, entre os quais a enorme perda que teve no final de 2020, com o falecimento da sua mãe.
Pretende reabrir a atividade do Dojo assim que as condições o proporcionarem.
Descreve o seu grupo com as palavras: Juventude, vontade de aprender e humildade.
Em relação a campanha Family Supporters, considera que faz todo o sentido envolver os familiares e que dessa forma acabam por participar mais na vida associativa.
Para António Neves o #karatefazbem e o #karatefazfalta, pois desenvolve a auto-estima, trabalha o aspeto físico e ensina as pessoas que para atingir um determinado objetivo é preciso passar por um processo. É, por isso, um exercício constante de inteligência, pois promove algo muito mais que os aspetos fisiológicos.
Salienta a capacidade de leitura que o Karate desenvolve. Proporciona disciplina e desenvolve a humildade, pois refere “para se ser um bom Mestre, primeiro tem que se ser um bom Aluno”.


Nenhum comentário

O autor não autorizou comentários deste artigo