Instrutor Jorge Simões – 3º Dan

Jorge Simões, nasceu a 15 de novembro de 1971, é natural de Condeixa e vive atualmente no Faial, Açores.
É professor do 3ª ciclo e ensino secundário e é Instrutor da Associação Portuguesa de Karate Shukokai.
O seu interesse pelo Karate foi despertado desde cedo. No ensino secundário ao privar com o professor de educação física (e mais tarde professor de História) e Mestre de Karate Shotokan, José Melo, e pelo fascínio que tinha dos filmes ligados às artes marciais, rapidamente levou à vontade de experimentar.
Ainda experienciou o Judo, mas não lhe foi apelativo.
Mais tarde, ao passar para o ensino secundário, foi estudar para Condeixa onde conheceu Rui Paiva, Instrutor da APKS, surgindo assim a oportunidade de iniciar os primeiros passos no Karate.
Na altura, recorda que começar a treinar Karate “teve impacto na minha autoconfiança” e, para além disso, era importante “fazer parte de um grupo de pessoas que partilhassem os mesmos interesses”.
Enquanto professor de História e professor de Karate consegue distinguir a evolução e o impacto do Ensino e da Arte Marcial, considerando que esta tem uma influência e resultados mais imediatos.
Por volta dos seus 25 anos, o Instrutor Jorge foi trabalhar para os Açores, o que levou a uma interrupção da prática do Shukokai durante muitos anos, tendo praticado outros estilos (Shito Ryu e Kyokushinkai).
Há cerca de 11 anos, foi colocado como professor numa escola em S. Jorge, Açores, onde conheceu o colega Dinis Moreira que, mais tarde, também se tornou Instrutor da APKS. Rapidamente começaram a treinar e partilhar o gosto pelas artes marciais, o que levou a oficializarem uma escola de Karate Shukokai por volta do ano de 2012.
Recentemente, por motivos profissionais, Jorge Simões mudou-se para o Faial, onde iniciou dois novos Dojos de Shukokai. No Clube Desportivo Escolar da Horta (um grupo mais pequeno de ensino regular) e um grupo maior, associado ao CDIJ, composto por crianças e jovens em risco, onde Jorge leciona o Karate de forma “diferente”, com foco no campo emocional e de integração social.
Salienta o papel do Shihan Marcelo Azevedo na preocupação e atenção que tem para com os Dojos das Ilhas, ao deslocar-se com regularidade para ensinar o Shukokai, um gesto que releva bastante.
Valoriza a campanha Family Supporters da APKS, que procura replicar nos seus Dojos, com os familiares.
Para Jorge, é importante ser Instrutor porque é a oportunidade de “transmitir os valores e tudo o que acho que é bom para os alunos”. Considera que o Karate permite melhorar algumas falhas da sociedade em geral, como respeito, a dedicação, a perseverança e o foco em tudo o que fazemos na nossa vida.
Caracteriza os seus alunos por serem dedicados, esforçados e coesos.
O trabalho de Jorge Simões enquanto Instrutor de Karate Shukokai é bastante meritório, pois a compensação financeira é bastante reduzida (praticamente nula) e a logística necessária para lecionar treinos obriga-o a um esforço significativo. No entanto, fá-lo com dedicação, empenho e consciência de que está a contribuir para uma causa maior.
Considera que o #karatefazbem e o #karatefazfalta porque garante a estabilidade, respeito, organização e enquadramento das pessoas e “para além do exercício físico, o Karate é também o psicólogo e o psiquiatra”. O Karate fornece estabilidade pois ”no treino, dentro do caos e da incerteza, nós sabemos sempre qual a nossa posição e qual a postura do grupo dentro do dojo” e que dessa forma é possível transportar essa atitude para quotidiano, na maneira como se lida com os medos e adversidades da vida.



Nenhum comentário

O autor não autorizou comentários deste artigo