Instrutor Carmindo Paiva – 6º DAN

Carmindo Paiva nasceu em 12/06/1957 em Ramalde (Porto) e reside na Leça do Balio em Matosinhos.
Atualmente está aposentado e é Instrutor da Associação Portuguesa de Karate Shukokai.
Carmindo conheceu o Karate através dos filmes passados em cinemas na década de 70 que, à data, era pouco ou nada conhecido.
Despertou nele alguma curiosidade, pois nessa altura a sua paixão era tocar bateria num grupo musical de “Baile”.
Começou a treinar na Academia de Artes Marciais Soshinkai em Pinto Bessa (Porto), sob a orientação do Mestre Mário Águas, desde 1975. O estilo era Viet-Vo-Dao, tendo como responsável máximo o Mestre Tran-Hu-Ha (Vietnamita).
Carmindo achava interessante as técnicas de defesa pessoal, com aplicação de “tesouras” às várias partes do corpo, (pernas, anca e tronco) culminando com imobilizações e projeções provocadas aos oponentes.
Em 1978, conheceu o Shihan Marcelo Azevedo que chegou ao Porto, vindo de Moçambique (detinha a graduação de 2º Dan) começando a dar aulas na academia Soshinkai, à classe a que Carmindo pertencia.
Shihan Azevedo ensinava o Shukokai, o que teve um grande Impacto em Carmindo, pois constatou que esta técnica era muito mais realista e eficaz, quer em ambiente de combate, quer em defesa pessoal.
Carmindo é um dos Instrutores de Karate Shukokai no ativo mais antigos da APKS.
A sua vasta experiência, conhecimento e proximidade de Shihan Marcelo Azevedo ao longo de décadas, permitiram-lhe forjar centenas de Karatekas e alguns competidores que marcaram a história desportiva da APKS, tais como Diogo Guincho e Tiago Guincho, Inês Catarina e Carlos Casca Rodrigues.
Foram conquistas individuais, mas em simultâneo com o trabalho desenvolvido enquanto equipa e grupo coeso ao longo dos anos.
Para Carmindo, o Karate é algo que o acompanha no dia a dia e que o deixa mais realizado ao fim de cada treino que leciona.
O seu objetivo no Karate é preparar e formar os jovens para as adversidades que encontram na vida, tanto a nível social como desportivo, pois “sabendo que tirei um jovem da rua, para mim é uma conquista”, refere com convicção.
No início da sua carreira enquanto Instrutor, começou a dar treinos na escola secundária de Valongo, passando para Àguas Santas, Sever do Vouga e por fim, em Ermesinde (CPN) desde 1998.
Enaltece a campanha FAMILY SUPPORTERS promovida pela APKS, referindo o grande mérito associativo em envolver toda a família no crescimento e formação dos Karatekas.
Considera que o #karatefazbem porque ajuda na formação do atleta tanto a nível psíquico, como físico, e a encarar com frontalidade e otimismo os problemas do quotidiano.
E o #karatefazfalta porque quando bem interpretado, “preenche todo um vazio que há em nós”. Complementa lembrando uma célebre frase do seu antigo Mestre de Viet Vo Dao que dizia… ”ser forte para ser útil”.
Teve vários momentos marcantes ao longo destes mais de 40 anos de prática.
No dia 12 de Maio de 1985, quando foi proposto a Exame de 1º Dan no Porto, Soke Shigeru Kimura (precursor do estilo) não o graduou, porque estava totalmente desconcentrado da técnica treinada nesse estágio… não sabendo, no entanto (nem o próprio Shihan Marcelo Azevedo) que Carmindo estava prestes a ser pai, pois o seu filho nasceria nessa madrugada!
Enquanto competidor recorda um 1º lugar de Kumite Equipas Inter Estilos em Braga, em 1987, ao ganhar o derradeiro combate, dando a vitória à equipa da APKS nessa competição.
Como treinador, lembra-se com emoção o título de Campeão Mundial de Kumite (Combate) do seu atleta Diogo Guincho em 2004 na Cidade do Cabo, na África do Sul.


Nenhum comentário

O autor não autorizou comentários deste artigo